Info! Please note that this translation has been provided as best effort, for your convenience. The English page remains the official version.

AFRINIC-18 Ata da Reunião do PDWG

Imprimir amigável, PDF e e-mail

Onde:

Lusaka, Zâmbia

Co-Presidentes:

  • Alan P. Barrett
  • Emile Milandou

 

Agenda da Sessão

Sessão 1: 19 de junho de 2013
1400 - 1405 Bem-vindo Alan P Barrett
1405 - 1420 Visão geral do AFRINIC PDP Alan P Barrett
1420 - 1530 Atualização de política fora da região Philip Smith, Leslie Nobile, Sergio Rojas, Andrea Cima.
1530 - 1600 Proposta de política:
Remova o requisito para anunciar o bloco v6 inteiro como um único agregado.
AFPUB-2013-V6-001-DRAFT-01
Steve Wiesman
1600 - 1630 Proposta de política:
AFRINIC whois Limpeza de banco de dados
AFPUB ‐ 2012 ‐ GEN ‐ 001‐DRAFT-02
JR Hountomey
1630 - 1700 Proposta de política:
Atribuições de Anycast na região AFRINIC
AFPUB ‐ 2012-V4-001-DRAFT-01
Mark Elkins

Sessão 2: 20 de junho de 2013
1100 - 1130 Proposta de política:
Sem reverso a menos que atribuído
AFPUB-2012-DNS-001-DRAFT-02
Tim McGinnis
1130 - 1200 Proposta de política:
IPv4 Alocação e Atribuição de Endereço
AFPUB-2013-V4-002-DRAFT-01
S Moonesamy
1200 - 1230 Proposta de política:
Acadêmico IPv4 Alocação
AFPUB-2013-GEN-001-DRAFT-02
Andrew Alston
1400 - 1430 Proposta de política:
Inter RIR IPv4 Transferências de endereço
AFPUB-2013-V4-001-DRAFT-01
Chad Abizeid
1430 - 1530 Microfone aberto de desenvolvimento de políticas Emile Milandou
1600 - 1630 Eleição do copresidente do PDWG Douglas Onyango

 

Sessão 1: 19 de junho de 2013 1.0 Boas-vindas e visão geral do PDP

Alan Barrett, um dos co-presidentes do PDWG, deu as boas-vindas aos participantes da reunião de política pública AFRINIC18, analisou a agenda detalhada das sessões de política de dois dias e apresentou o PDP da região AFRINIC.

Ele mencionou que qualquer pessoa pode enviar uma proposta, publicá-la na lista de RPD para discussões com duração não inferior a 4 semanas antes de ser apresentada em uma reunião presencial onde, se houver consenso, os co-presidentes do PDWG encaminharão a proposta para um período de revisão da última chamada com duração não inferior a 2 semanas. Se não houver consenso, a proposta volta para a lista de mala direta, onde o (s) autor (es) podem talvez trabalhar em versões revisadas das propostas com base no feedback recebido ou retirá-las inteiramente. A proposta, após um último período de convocação bem-sucedido, é enviada à diretoria para ratificação e à AFRINIC para implementação.

Alan afirmou que qualquer pessoa pode se inscrever na lista de discussão de políticas de recursos (rpd) e participar de discussões sobre políticas, independentemente de sua localização ou afiliação.

 

1.1 Atualização de política fora da região

 

Representantes do outro RIRs cada um falou sobre as políticas que foram aprovadas recentemente e as propostas que estão sendo discutidas ativamente em suas respectivas regiões.

 

1.2 Proposta de política: remover o requisito para anunciar o bloco v6 inteiro como um único agregado. AFPUB-2013-V6-001-DRAFT-01

 

Steve Wiesman, da Accenture, apresentou remotamente essa proposta, na qual os co-presidentes abriram espaço para discussões. Os seguintes comentários foram feitos sobre a proposta durante a reunião:

  • ARIN e APNIC afirmaram que em seu IPv6 políticas de alocação, não há nenhum requisito que restrinja o roteamento de toda a alocação como um único agregado.
  • RIPE NCC mencionou que esta cláusula costumava existir em seu IPv6 política de alocação, mas foi removida pela comunidade.
  • Alguns membros afirmaram que parece o atual IPv6 a política de alocação está sendo mal interpretada pelo pessoal da AFRINIC, uma vez que não parece impor explicitamente uma condição para anunciar uma alocação inteira como um único agregado.
  • A AFRINIC esclareceu que a cláusula conforme escrita na política atual é interpretada de forma a implicar que se o LIR planeja desagregar a alocação e anunciar fragmentos de Sistemas Autônomos separados, isso seria uma violação e a solicitação seria negada.
  • Surgiram algumas sugestões sobre a exclusão de 6.1.1 (d) da política atual, pois isso atinge exatamente o mesmo resultado que a proposta está tentando abordar.
  • Várias pessoas apoiaram a proposta escrita.

Após consulta, os co-presidentes concordaram que havia consenso sobre a proposta e recomendaram movê-la para o período da última convocação.

 

1.3 Proposta de política: AFRINIC whois Limpeza de banco de dados AFPUB-2012-GEN-001-DRAFT-02

 

Jean Robert Hountoumey afirmou que a partir do seu trabalho nas Operações do AfricaCERT que começou em Maio de 2010, foi descoberto que muitas pessoas contestam no AFRINIC whois banco de dados tem endereços de e-mail inacessíveis. Ele, portanto, achou útil apresentar uma proposta de política para que a AFRINIC pudesse solicitar aos membros que atualizassem suas informações de contato periodicamente.

Ele afirmou que as pessoas mudaram de empresa para empresa devido à rotação de cargos e mudanças organizacionais. Os funcionários não estão na mesma posição que tinham quando o whois foi atualizado e não trata mais do AFRINIC e quem os substituiu podem não estar necessariamente cientes.

Outras causas de informações de contato erradas, como números de telefone, grandes mudanças na infraestrutura de telecomunicações (mais ou menos dígitos em números de telefone), fusões e aquisições e outros fatores imprevistos, todos levam ao whois banco de dados ficando gradualmente cheio de informações de contato incorretas.

Jean Robert afirmou ainda que o Acordo de Serviços de Registro AFRINIC estabelece que os membros devem fornecer informações precisas e completas ao se inscreverem para os serviços.

Esta proposta, portanto, pede à AFRINIC para manter a precisão através da limpeza periódica do banco de dados, bem como realizar whois validação das informações do banco de dados pelo menos uma vez ao ano ou na renovação de recursos.

O seguinte feedback foi recebido dos presentes na reunião:

  • Os funcionários da AFRINIC indicaram que já existe um projeto interno em andamento com o objetivo principal de garantir que as informações de contato dos membros sejam atualizadas e precisas. Alguns dados fornecidos pela AFRINIC mostram que cerca de 80% dos membros contatados responderam e atualizaram suas informações. A AFRINIC, portanto, recomendou que a proposta talvez não seja necessária, pois aborda algo que a AFRINIC já está fazendo.
  • Alguns comentários indicaram que reivindicar recursos de membros com informações de contato ruins é muito difícil.
  • O consultor jurídico da AFRINIC afirmou que isso não é severo, pois está claramente indicado no RSA (Acordo de Serviços de Registro) que o membro deve manter suas informações de contato corretas.
  • Houve vários comentários que apóiam o fato de que se AFRINIC já está fazendo este trabalho internamente, e que o autor deveria considerar retirar a proposta e deixar AFRINIC prosseguir com esta atividade.
  • Alguns achavam que a presença de uma política obrigaria a AFRINIC a realizar essa limpeza e ser responsabilizada quando não o fizer.

Os co-presidentes determinaram que NÃO havia consenso e recomendaram que esta proposta fosse enviada de volta para uma discussão mais aprofundada na lista de mala direta de acordo com o PDP, já que o autor planeja a melhor maneira de proceder com a proposta.

 

1.4 Proposta de Política: Atribuições Anycast na região AFRINIC AFPUB-2012-V4-001-DRAFT-01

 

Mark Elkins como um dos co-autores apresentou a proposta. Mark indicou que de acordo com as políticas atuais do AFRINIC, não é possível justificar a atribuição ou alocação mínima se tudo o que é necessário são cerca de 4 endereços IP para implantar um serviço anycast do bloco solicitado. A proposta sugere a possibilidade de uma organização receber um bloco de IPv4 endereços para finalidades como anycast ou GRX. Os prefixos emitidos devem ser usados ​​para o único propósito de qualquer transmissão da web ou servidores DNS autorizados, conforme descrito em BCP126 / RFC 4786.

Feedback da reunião:

  • A proposta não incorpora IPv6 e talvez deva ser alterado para atender IPv6 solicitações anycast.
  • Se a proposta for incorporar anycast, ela não deve ser específica sobre serviços específicos (como GRX conforme indicado no documento). Deve abranger todos os serviços em anycast.
  • A AFRINIC indicou que várias solicitações de anycast foram rejeitadas porque o requisito de utilização inicial para o tamanho do prefixo solicitado geralmente não é atendido pelos solicitantes de espaço de anycast, e esta proposta resolveria esse problema.

Os co-presidentes determinaram que havia consenso sobre a proposta conforme redigida e recomendaram que ela fosse encaminhada para a última chamada.


 

Sessão 2: 20 de junho de 2013

 

2.0 Proposta de Política: Sem reverso, a menos que atribuído AFPUB-2012-DNS-001-DRAFT-02

 

Esta proposta foi apresentada por Alan Barrett, co-presidente do PDWG, pois o autor não poderia participar pessoalmente nem remotamente.

Segundo o autor, Public Whois os registros devem ter informações sobre as redes visíveis ao público (normalmente outros operadores de rede) e é evidente que AFRINIC LIRs não registram ativamente as redes de seus clientes e mesmo a própria infraestrutura do LIR no AFRINIC whois banco de dados, como eles devem fazer de acordo com a política.

AFRINIC tem uma solução alternativa para isso até agora, emitindo NENHUMA alocação adicional até que as atribuições sejam registradas corretamente pelo LIR no whois base de dados. No entanto, os LIRs obedecerão se essa negação de serviços rDNS for incluída na política.

Os co-presidentes abriram espaço para discussões e o seguinte feedback foi recebido:

  • A proposta aborda apenas LIRs e não abrange os usuários finais. DNS reverso se aplica a ambos, independentemente ou whois registros do banco de dados.
  • Muitas pessoas acharam que era uma boa ideia os LIRs garantirem whois os registros são precisos e expressam apoio à proposta.

 

Os co-presidentes determinaram que houve consenso e passaram a proposta para a última chamada.

 

2.1 Proposta de política: IPv4 Alocação e Atribuição de Endereço AFPUB-2013-V4-002-DRAFT-01

 

S Moonesamy, o autor da proposta, não pôde participar pessoalmente ou remotamente e Alan Barrett, o copresidente do PDWG, apresentou a proposta. Alan Barrett observou que a proposta introduz várias revisões ao atual IPv4 Política de alocação e atribuição (AFPUB-2005-V4-001) com áreas-chave e percepções da experiência adquirida em 2005 desde que foi implementada e observou as seguintes mudanças principais (conforme resumido pela equipe da AFRINIC):

  • A conservação foi removida como um dos objetivos do sistema de registro.
  • Removida a necessidade de todas as comunicações com a AFRINIC serem em inglês.
  • Declaração removida "O solicitante deve ser um membro AFRINIC em situação regular" dos critérios de elegibilidade do recurso.
  • Adicionado o critério de elegibilidade de recursos "Uma alocação inicial mínima também pode ser considerada se um Provedor de Serviços de Internet se interconectar com outras redes em um Ponto de Troca de Internet na região de serviço AFRINIC que tenha uma política aberta. Informações adicionais podem ser solicitadas para justificar a alocação".
  • Adicionada uma recomendação para um limite máximo de alocação definido como / 10.
  • Removida a seguinte cláusula que define o que constitui as atribuições de endereço IP de "usuário final" e "LIR": "Os endereços IP usados ​​exclusivamente para conectar um usuário final a um provedor de serviços (por exemplo, links ponto a ponto) são considerados como parte de infra-estrutura do provedor de serviços. Esses endereços só devem ser registrados como parte da infra-estrutura do provedor de serviços. Quando um usuário final tem uma rede usando espaço de endereço público, esse espaço deve ser registrado com os contatos do usuário final. Se o usuário final é um indivíduo e não uma organização, o espaço pode ser registrado com as informações de contato do provedor de serviços, mas com o usuário final referenciado no AFRINIC whois objeto de banco de dados. "

Após alguma discussão e revisão das discussões que aconteceram na lista, os co-presidentes moveram para retornar a proposta à lista de discussão para mais discussões, pois a reunião não entendeu completamente quais problemas a proposta visa resolver.

 

2.2 Proposta de política: Acadêmica IPv4 Alocação AFPUB-2013-GEN-001-DRAFT-02

 

Andrew Alston e Sunday Folayan, os autores, apresentaram a proposta ao encontro. Andrew afirmou que a proposta visa facilitar o acesso de Instituições de Ensino Superior (IES) aos recursos de IP e reduzir a dependência do NAT dentro dessas instituições. Ele afirmou ainda que incentiva IPv6 implementação dentro dessas instituições (para se qualificar para o espaço sob esta proposta, IPv6 rollout também se torna obrigatório) e reduz a necessidade de provar certos elementos não quantificáveis ​​que podem atrasar as alocações acadêmicas para obter IPv4 endereços de AFRINIC.

Andrew destacou o seguinte:

  • O número de endereços atribuídos a uma instituição com base no número de alunos / funcionários dentro de uma instituição, em um multiplicador ou proporção, mas uma instituição tem a opção de se inscrever para menos espaço, ou exceder o multiplicador, fornecendo motivação e documentação mais rigorosas.
  • Uma instituição que se inscreve sob esta política é obrigada a fornecer documentação de IPv6 Lançamentos. Essas implementações devem ser na extremidade da rede e NÃO apenas no núcleo.
  • A proposta define IES como usuários finais de fato, a menos que a IES opte especificamente por ser um LIR ou esteja alocando espaço de endereçamento para entidades legais que sejam terceiros.
  • A proposta dispensa a comprovação detalhada da infraestrutura dentro de uma instituição acadêmica, uma vez que, pela sua própria natureza, tal infraestrutura é uma exigência no dia a dia de uma instituição acadêmica.
  • Com o uso cada vez maior de WI-FI em campi universitários, o requisito de fornecer prova de infraestrutura não faz mais sentido - é impossível provar o uso simultâneo em uma rede WI-FI até que a rede seja implementada e isso exija espaço de endereço , é uma situação do ovo e da galinha.
  • As proporções propostas foram aumentadas de 3: 1 para 5: 1 após extensos debates sobre a lista de RPD - os autores estão abertos a novos debates sobre este número.
  • A proposta * NÃO * tenta lidar com taxas ou custos associados ao espaço IP, exceto pelo fato de que as Universidades são usuários finais de fato. Os autores defendem o fato de que as taxas são da competência do conselho e fora do escopo do processo político.

    No que diz respeito à documentação:

  • A proposta não elimina a exigência de toda a documentação de uma instituição, apenas reduz a carga sobre a instituição de provar coisas que não são quantificáveis.
  • As IES são obrigadas a fornecer documentação sobre funcionários e dados dos alunos e documentação associada (informações dos sistemas de registro dos alunos, números publicados, etc.)
  • As IESs ainda devem fornecer comprovante de registro e credenciamento.
  • Uma carta da instituição seria necessária declarando que o espaço de endereço não será usado fora do campus / ambiente acadêmico - isso impede que um usuário final de fato atue como um LIR.
  • A proposta foi então aberta para discussão na reunião e o feedback abaixo foi recebido:
  • AFRINIC forneceu os seguintes comentários depois de estudar a proposta:
    • A proposta menciona "Instituições de ensino superior" e "Instituições acadêmicas" em duas cláusulas distintas. Deve haver uma definição específica de tais instituições.
    • A Seção 3.9 desta proposta está em contradição com as Seções 7.3 e 7.4 do atual IPv4 política de atribuição e atribuição de endereços (afpub-2005-v4-001) isentando os candidatos ao abrigo da presente proposta de apresentarem "documentação relativa às redes em questão".
    • A seção 2 (b) da tabela de taxas declara: "A AFRINIC aplicará um desconto de 50% a organizações que justifiquem que são instituições acadêmicas ou de pesquisa oficiais em seus países e demonstrem o uso exclusivo de recursos atribuídos / alocados para acadêmicos sem fins lucrativos ou atividades de pesquisa. " A seção 3.8 da proposta será substituída pela cláusula da seção 2 (b) da tabela de taxas.
    • Escopo da Seção 3.3 "detalhes do planejado / atual IPv6 lançamentos, incluindo prazos comprometidos para o lançamento de IPv6".
      • Essa verificação deve ser aplicada, digamos, quando a IES voltar para uma faixa adicional de IPv4 endereços?
      • As informações sobre o lançamento planejado devem ser enviadas no IPv4 pedido ou em simultâneo IPv6 solicitação?
      • Qual deve ser o "prazo de compromisso"? (Número de meses?)
  • Andrew indicou a disposição de expandir a definição de IES para fazê-la abranger uma gama mais ampla de instituições, conforme a necessidade da comunidade. Ele também afirmou que uma nova proposta substituiria uma política existente se aprovada e, portanto, não há contradição. Sobre as taxas, ele afirmou que todas as práticas e procedimentos existentes permaneceriam inalterados e nenhum desconto está sendo forçado. No planejado IPv6 lançamento, ele afirmou que um candidato sem IPv6 precisaria se inscrever e obter primeiro.
  • Alguns não concordaram com o fato de que custa muito dinheiro para a IES devido aos atrasos no processamento de suas solicitações pela AFRINIC, e exortaram as IES a planejarem adequadamente o possível tempo e atrasos que poderiam ocorrer caso ocorressem.
  • Outros sentiram a necessidade de dar atenção especial às exigências das instituições acadêmicas, uma vez que dessas instituições saem muitas pesquisas e desenvolvimento que aprimoram a experiência do usuário e o crescimento da Internet - e apoiaram a proposta.
  • Alguns representantes da NREN também apoiaram a proposta e sugeriram que, como um requisito adicional, as IES forneçam ao AFRINIC o uso da largura de banda, uma vez que reflete o crescimento.
  • Outros sentiram que é importante demonstrar a necessidade de endereços IP, e usar uma razão ou tipo de multiplicador de força os usuários a obter endereços IP de que não precisam, enquanto infringe a política já existente de justificar a necessidade por meio de documentação e crescimento planejado, e, portanto, não apoiou a proposta.
  • Outros pontos de interesse e discussão foram:
    • Questões de abuso e spam, uma vez que haverá muitos endereços IP disponíveis para um aluno.
    • A necessidade de queimar nosso IPv4 inventário mais rápido, a fim de motivar a migração para IPv6 uma vez IPv4 está totalmente esgotado.
    • A necessidade de os autores fazerem algumas alterações, notadamente, o uso consistente da redação da IES ou Instituição Acadêmica, e o esclarecimento das razões de uso.

 

Os co-presidentes pediram levantamento de mãos para avaliar o consenso sobre a proposta conforme escrita. A maioria dos participantes apoiou a proposta conforme escrita, com alguns se opondo à proposta. Os copresidentes, então, pediram uma segunda mão levantada, para avaliar o consenso sobre a política com as seguintes duas modificações:

uma. Alterar a redação para torná-la consistente com o uso de apenas um dos dois termos "Instituição de Ensino Superior" e "Instituição Acadêmica", em vez de usar termos diferentes em locais diferentes;

b. Deixando claro que uma organização pode solicitar menos espaço de endereçamento do que estaria implícito na fórmula da proposta.

A maioria dos participantes apoiou a proposta emendada e nenhuma mão se levantou em oposição à proposta emendada. Os co-presidentes determinaram que havia consenso para mover a proposta para a última chamada.

 

2.3 Proposta de Política: Inter RIR IPv4 Transferências de endereço AFPUB-2013-V4-001-DRAFT-01

 

Alan Barrett apresentou a proposta, pois o autor, Chad Abizeid, não pôde comparecer à reunião nem participar remotamente. Alan indicou que a proposta permite que entidades da região AFRINIC transfiram seus IPv4 endereços para entidades de outra região que desejam recebê-los, e vice-versa.

Ele leu toda a proposta conforme escrita pelo autor e abriu a palavra para discussão e comentários.

A proposta recebeu grande oposição com todos os oradores instando fortemente o autor a retirá-la imediatamente. Nenhuma declaração de apoio foi recebida.

Os co-presidentes determinaram não haver consenso sobre a proposta de passagem para a última convocação e aconselharam o retorno à lista de discussão para eventuais esclarecimentos do autor ou eventual retirada.

 

2.4 Microfone aberto de desenvolvimento de políticas

 

Os comentários a seguir foram observados durante a sessão de microfone aberto

  • Possibilidade de AFRINIC fazer uma forma de contrato para os detentores de espaço legado, da forma como ARIN está atualmente se relacionando com eles e talvez fazendo com que paguem algumas taxas.
  • Possibilidade de AFRINIC encorajar os titulares de espaço legado com espaço não utilizado a devolvê-lo à piscina livre.

 

2.5 Eleição do novo copresidente do PDWG

 

Douglas Onyango, presidente do NomCom 2013, informou brevemente a reunião sobre as funções dos co-presidentes do PDWG, seu mandato e o processo eleitoral. Ele disse que o mandato de Alan Barrett terminou e afirmou que quando uma chamada para nomeações foi enviada à comunidade, dois voluntários responderam, e eles eram Seun Ojedeji da Nigéria e Jean Claude Welo da RDC. Ele afirmou ainda que Jean Claude retirou sua candidatura e, ao mesmo tempo, endossou Seun Ojedeji e, portanto, Seun é o único voluntário candidato à eleição.

Douglas chamou Seun para falar sobre seu histórico e planos para o AFRINIC PDWG. Seun indicou sua vontade de servir como copresidente do PDWG e sua disponibilidade para se comprometer totalmente a cumprir todas as responsabilidades exigidas dele nesta função.

Após uma votação aberta em apoio à sua candidatura, Seun foi declarado o novo copresidente em substituição de Alan Barrett. Douglas agradeceu a Alan pelo serviço que ele prestou incansavelmente à comunidade em várias funções, incluindo o PDWG, e deu as boas-vindas a Seun em sua nova função.

 

2.6 Resumo do resultado das propostas discutidas:

 

Proposta Status
Proposta de política: remover o requisito de anunciar o bloco v6 inteiro como um único agregado. AFPUB-2013-V6-001-DRAFT-01 ÚLTIMA CHAMADA
Proposta de política: AFRINIC whois Limpeza de banco de dados AFPUB-2012-GEN-001-DRAFT-02 DE VOLTA À LISTA
Proposta de política: Designações Anycast na região AFRINIC AFPUB-2012-V4-001-DRAFT-01 ÚLTIMA CHAMADA
Proposta de política: não reverter a menos que atribuído AFPUB-2012-DNS-001-DRAFT-02 ÚLTIMA CHAMADA
Proposta de política: IPv4 Alocação e Atribuição de Endereço AFPUB-2013-V4-002-DRAFT-01 DE VOLTA À LISTA
Proposta de política: Acadêmica IPv4 Alocação AFPUB-2013-GEN-001-DRAFT-02 ÚLTIMA CHAMADA
Proposta de política: Inter RIR IPv4 Transferências de endereço AFPUB-2013-V4-001-DRAFT-01 DE VOLTA À LISTA
Última modificação em -
Data e hora nas Maurícias -