Info! Please note that this translation has been provided at best effort, for your convenience. The English page remains the official version.

Política de Transferência de Entrada

Imprimir amigável, PDF e e-mail

 

Detalhes
  • Ref. Nome:
    AFPUB-2016-GEN-002-DRAFT-01
  • Submetido:
    17 2016 junho
  • Status:
    Expirado
  • Autor:
    -Andre Alston (Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.)
    - Christopher Mwangi (Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.)
  • Avaliação da equipe e jurídica e comentários

1) Resumo do problema que está sendo resolvido por esta proposta de política

A região de serviço AfriNIC tem a menor quantidade de IPv4 espaço de qualquer um dos RIR regiões definidas. Como tal, quando AfriNIC esgotar seu espaço atual, ainda haverá a necessidade de mais IPv4 endereços no continente. Além disso, pode haver circunstâncias em que as empresas desejem usar recursos específicos da v6 e ASNnão está disponível no continente.

 

Embora a comunidade tenha expressado preocupações de que a promulgação de uma política de transferência resultará no fluxo de recursos para fora do continente, esta política aborda isso puramente atendendo às transferências de entrada, sem permitir ou afetar as transferências fluindo do continente para outros RIR regiões de serviço.

 

2) Resumo de como esta proposta aborda o problema

Esta política cobre a transferência de entrada de todos os recursos de IP, incluindo ASNde 16 bits e 32 bits, IPv4 espaço e IPv6 espaço

 

3) A proposta

Detalhes dos requisitos de transferência de entrada

3.1) AfriNIC deve aceitar todas as transferências de entrada de todos os recursos explicitamente referidos na seção 2

 

3.2) Para transferências para a região, o destinatário do espaço IP (v4 ou v6) deve fornecer um plano para AfriNIC para o uso de pelo menos 50% do recurso transferido nos próximos 5 anos.

 

3.3) Uma vez recebido, o espaço fará parte das alocações normais do destinatário com o propósito de avaliar o tamanho do destinatário de uma perspectiva de associação AfriNIC.

 

3.4) Se um destinatário de espaço transferido solicitar recursos adicionais de AfriNIC diretamente, todo espaço recebido por meio de transferências deve ser incluído em qualquer avaliação feita para alocação de recursos adicionais por AfriNIC.

 

4.0 Histórico de Revisão

17 de junho de 2016: AFPUB-2016-GEN-002-DRAFT-01 postado na lista de discussão

 

5.0 Referências

nenhum

 

 


 

Avaliação da equipe e jurídica e comentários

Comentários da equipe:

  • O texto da seção 3.1 não é claro sobre o que significa "entrada", mas entendemos que esta proposta abrangeRIR transferências, de algum outro RIR para AFRINIC, para uso por um membro AFRINIC.
  • "Esta política cobre a transferência de entrada de todos os recursos de IP, incluindo ASNde 16 bits e 32 bits, IPv4 espaço e IPv6 espaço. "Uma política atualmente ratificada exige que a AFRINIC não faça distinção entre ASNs, então sugerimos remover as palavras "16 bits e 32 bits"
  • “3.2 Para transferências para a região, o destinatário do espaço IP (v4 ou v6) deve fornecer um plano à AFRINIC para o uso de pelo menos 50% do recurso transferido dentro dos próximos 5 anos.” O período de alocação é de 12 meses atualmente e diminui quando alcançamos o pouso suave. 5 anos causa uma incompatibilidade com os 12 meses indicados no CPM
  • Entendemos que não há nenhuma exigência para que o destinatário dos recursos cumpra os requisitos estabelecidos em outras políticas, mas existe uma exigência na seção 3.2 para que o destinatário forneça um plano para usar 50% dos recursos em 5 anos. Entendemos que não há requisitos para que o uso seja eficiente, ao contrário dos requisitos de quase todas as outras políticas.
  • Entendemos que, se o destinatário do espaço o estiver usando de maneira ineficiente de acordo com a seção 3.2, mas depois solicitar mais espaço de acordo com a seção 3.4, a seção 3.4 removerá efetivamente a licença para uso ineficiente.
  • A seção 3.1 refere-se à seção 2. A seção 2 não faz parte formalmente da proposta, é apenas um resumo para auxiliar na discussão, e a seção 3 deve ser redigida de forma independente.

Outras Consultas:

  1. O destinatário deve ser um membro do recurso AFRINIC atual ou qualquer organização (neste caso, uma solicitação de associação pode ser processada, mas depende da aprovação de uma transferência de entrada?)
  2. Os recursos IP transferidos serão incluídos no inventário de recursos AFRINIC?
  3. Quem pode iniciar uma transferência? Fonte ou destinatário?
  4. Alguma comunicação precisa acontecer entre RIRs para esses pedidos? 
  5.  “3.1 AFRINIC aceitará todas as transferências de entrada de todos os recursos” - Nenhuma condição é mencionada / aplicada aqui. Isso implica que: 
    • Não importa se a fonte ou o destinatário estão envolvidos em qualquer disputa quanto ao status dos recursos (por exemplo, situação irregular ou não conformidade com outras políticas)? O inter-RIR políticas de transferência da fonte RIR por exemplo, não são mencionados aqui e se devem ser considerados ou não.
    • Podem os titulares de recursos herdados de outros RIRs transferência para nossa região de serviço e a AFRINIC não tem outra escolha a não ser aceitar a transferência?  
  • Há uma área cinzenta sobre se os detentores de recursos legados são cobertos por isso e o que deve acontecer com sua categoria de associação caso sejam cobertos pela proposta. As Seções 3.3 e 3.4 cobrem apenas um cenário para membros, sem menção de legados.

    Avaliação provisória de outro RIRs é indicativo do seguinte:
    • ARIN - não é possível implementar - precisa ser recíproco
    • RIPE - pode (ou não) implementar - ainda para aconselhar sobre os detalhes e requisitos.
    • LACNIC - Não aplicável porque não há Inter RIR política de transferência
    • APNIC - não pode implementar - precisa de reciprocidade.

 

 

Última modificação em -
Data e hora nas Maurícias -